Luciano Figueiredo

(Fortaleza, 1948)

Artista filiado ao construtivismo e sua tradição gráfica, Luciano Figueiredo inicia sua trajetória na pintura na década de 1960. À época, recém-chegado a Salvador (Bahia), frequenta o curso livre de pintura do Instituto Cultural Brasil-Alemanha, tendo como professor o pintor e músico alemão Adam Firnekaes. Conhece, então, o trabalho de artistas como Paul Klee e Kandinsky, movimentos históricos como o Cubismo e a escola Bauhaus. Em 1969, muda-se para o Rio de Janeiro, onde passa a conviver com músicos, cineastas e poetas. Trabalha na criação de cenários para musicais e peças de teatro, além de projetos gráficos para discos, livros e revistas, entre elas, a histórica Navilouca. É assim que se firma como um dos expoentes da chamada Contracultura.

Entre 1972 e 1978, reside em Londres, onde estuda História da Arte e Literatura Inglesa. Nesse período, inicia sua pesquisa com páginas impressas de jornal, realizando experimentações com poemas visuais feitos com recortes de palavras, manchas de cor e tablóides ingleses. Tais estudos o levam a criar, a partir de 1975, objetos com colagens e relevos monocromáticos, que apresenta em exposições a partir de 1984. Em trabalhos posteriores, apresenta relevos em telas sobre madeira ou emprega folhas de jornal e quadrados de voile, colados uns aos outros, de forma intercalada, sobre os quais realiza cortes e dobras, criando ritmos visuais. 

Nos anos 2000 e 2010, cria a série Relevos, a partir da experiência tátil de folhear, dobrar e fechar as páginas de jornal – e ver surgirem, assim, volumes planares. São dessa década também as pinturas planares, Dioramas e Muxarabiês, com camadas de jornal superpostas e cobertas de cores transparentes ou saturadas. 

Entre suas principais individuais, estão “Do Jornal à Pintura”, realizada no Musée Museum Départemental de Gap (França) em 2005 e em 2006, no Paço Imperial, e, em 2013, “Fabri Fabulosi” e “Imagem/Legenda: um cine romance”, no Oi Futuro Ipanema, ambas no Rio de Janeiro.  

Luciano Figueiredo foi curador de diversas mostras de Hélio Oiticica e Lygia Clark no Brasil e no exterior. Também atuou na Funarte e na coordenação do projeto Hélio Oiticica. Entre 2003 e 2007, dirigiu o Centro de Arte Hélio Oiticica, no Rio. 

Cor-Suspensão 2013 | Acrílica sobre tela e madeira | 57 x 57 cm

Cor-Suspensão   2013 | Acrílica sobre tela e madeira | 57 x 57 cm

©2016 LURIXS : Arte Contemporânea. Rua Dias Ferreira 214, Leblon - Rio de Janeiro RJ Brasil

Desenvolvido por New Gosling