Renata Tassinari

Biografia

(São Paulo, 1958)

Formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) em 1980, Renata Tassinari inicia sua produção com pinturas que mesclam elementos figurativos à gestualidade característica da pintura da Geração 80. A figuração vai lentamente desaparecendo e dá vez a uma pesquisa marcante de cor, que se transforma na marca de seus trabalhos. A artista, porém, não dissocia cor e matéria - Tassinari repensa ambas a partir da relação com o suporte e também ao agregar à superfície da tela elementos díspares (como papelão e madeira) e diferentes técnicas. 

Em 1985, faz a primeira exposição, uma coletiva no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo, com trabalhos em grande escala e figurativos. No início dos anos 1990, abandona as tensões do figurativismo e apresenta pinturas em que a cor mantém um resíduo material pelo uso de papéis entre a tinta e a tela e pelo acréscimo de cera. “Cor e material trocavam de posição incessantemente, sem que o observador pudesse aderir a um ou outro”, escreve o crítico de arte Rodrigo Naves, no livro sobre a obra da artista lançado em 2009.  

Já no final da década de 1990, a cor deixa de ocupar espaços rigorosamente delineados e a fatura impessoal, para dar vez a “uma gestualidade sutil, meio morandiana”, nas palavras de Naves. A artista, assim, reaproxima o fazer e a cor.  

No início dos anos 2000, Tassinari volta às superfícies chapadas e delineadas de forma precisa. Em 2002, apresenta pinturas na galeria Baró Senna em que cores altamente contrastadas convivem com outras quase opostas. A partir de 2005, ainda segundo Rodrigo Naves, a artista “vem conduzindo sua pintura a uma impessoalidade crescente”. “As áreas de cor se tornaram ainda mais regulares, a fatura quase desapareceu, as cores ganharam um espectro maior”, completa o crítico. Em muitos dos trabalhos mais recentes, ela faz uso de chapas de acrílico pintadas por trás. 

Em 2011, artista apresenta exposição individual na Lurixs. A mostra, intitulada “A Pintura na Caixa”, com curadoria de Paulo Venâncio Filho, dá continuidade à sua pesquisa com pintura sobre molduras acrílicas e madeiras, com suporte.

Em 2015, Tassinari ganha a exposição individual “Cor e Estrutura - Desenhos, Pinturas e Colagens”, sobre sua trajetória, com curadoria de Taisa Palhares, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. “A meu ver, é exatamente a tensão entre a autonomia da cor e a pintura como objeto artificial e manufaturado que será explorada de maneira surpreendente por Renata ao longo dos anos, concretizando-se na década de 2000 com uma série de trabalhos bastante originais nos quais a artista transforma a própria moldura de acrílico e madeiras padronizadas em MDF em elementos da composição”, escreveu a curadora no texto da mostra. Em dezembro de 2015, Tassinari expõe no Paço Imperial, com curadoria de Vanda Klabin, no Rio de Janeiro. A artista vive e trabalha em São Paulo.



Currículo

Exposições individuais

2015

Renata Tassinari. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

Cor e Estrutura - Desenhos, Pinturas e Colagens. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

Alguma Cor. Galeria Pilar. São Paulo, Brasil

2014

Renata Tassinari – Desenhos Antigos. Mul.ti.plo Espaço. Rio de Janeiro, Brasil

2012

A Pintura na Caixa. Galeria Pilar. São Paulo, Brasil

2011

A Pintura na Caixa. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

2009

Entre Cores. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Renata Tassinari. Estúdio Buck. São Paulo, Brasil 2007 Galeria Virgílio. São Paulo, Brasil

Matias Brotas Arte Contemporânea. Vitória, Brasil

2005

Galeria Virgílio. São Paulo, Brasil

2004

Galeria de Arte Espaço Universitário/UFES. Vitória, Brasil

2003

Centro Universitário Maria Antônia. São Paulo, Brasil

2002

Galeria Baró. São Paulo, Brasil

1998

Valu Ória Galeria de Arte. São Paulo, Brasil

1995

Galeria Millan. São Paulo, Brasil

1993

Galeria Millan. São Paulo, Brasil

1989

Centro Cultural São Paulo. São Paulo, Brasil Galeria Millan. São Paulo, Brasil

 

Exposições coletivas

2013

Exposição Coletiva. Galeria Pilar. São Paulo, Brasil

2006

Arquivo Geral. Centro Cultural Hélio Oiticica. Rio de Janeiro, Brasil

2005

BR-2005. Galeria Virgílio. São Paulo, Brasil

2004

BR-2004. Galeria Virgílio. São Paulo, Brasil

2002

Galeria Baró. São Paulo, Brasil

2000

Galeria Baró. São Paulo, Brasil

1999

1a Mostra do Programa de Exposições 2000. Centro Cultural São Paulo. São Paulo, Brasil

1998

MARP – Museu de Arte de Ribeirão Preto. Ribeirão Preto, Brasil

1994

Pequenos Formatos. Valu Ória Galeria de Arte. São Paulo, Brasil

1993

Galeria Millan. São Paulo, Brasil

1991

Galeria Millan. São Paulo, Brasil

13 Artistas Paulistas. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

1990

Escritório de Arte. Ribeirão Preto, Brasil

1989

Projeto Macunaíma. FUNARTE. Rio de Janeiro, Brasil

1986

Galeria Oscar Seráphico. Brasilia, Brasil

1985

Pintura e Tal. Museu de Arte Moderna de São Paulo. São Paulo, Brasil

Destaque de Arte Contemporânea. Museu de Arte Moderna de São Paulo. São Paulo, Brasil