José Bechara

Biografia

(Rio de Janeiro, 1957)

José Bechara inicia seus estudos de pintura em 1987, na Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage. Artista posterior à chamada Geração 80, abandona a tela e passa a explorar o processo de oxidação de metais, principalmente sobre lonas de caminhões usadas. A pesquisa experimental, aprofundada ao longo da década seguinte, consagra o artista como um dos principais nomes da Geração 90.

Em 1992, começa suas experimentações com distintos suportes e técnicas e, no mesmo ano, realiza sua primeira exposição individual, no Rio de Janeiro. Em suas pesquisas no campo pictórico, Bechara chega às lonas de caminhões – usadas, marcadas e manchadas por mercadorias, pela estrada, pelo tempo. Não usa pigmentos de cor ou pincéis (materiais da pintura dita tradicional), mas “pinta” por meio do processo de oxidação de metais sobre a lona.  “Alguns elementos norteiam a ação criativa de José Bechara. Ela combina apropriação, intervenção e anseio formal. Cada um destes elementos tem a sua especificidade, mas atuam segundo uma medida que é determinada pela necessidade de cada trabalho”, escreveu o curador Luiz Camillo Osorio, em texto sobre o artista.

Nos anos 2000, a obra de Bechara também assume qualidades escultóricas, em trabalhos como A Casa (2002), em que móveis e objetos de uma residência saltam pelas janelas da casa. “Na construção de sua Casa, o que é íntimo é expelido, expulso, posto para fora. Nas Lonas, o que é marca do mundo e da natureza externa vai ser recolhido e absorvido no interior da tela. Neste jogo entre dentro e fora, intimidade e exterioridade, apropriação e extração, formalidade e informalidade, desenvolve-se a estrutura poética do artista”, conclui Luiz Camillo Osorio. Incorporada ao repertório plástico do artista, a forma da casa (e de seus objetos) aparece em instalações e esculturas de pequena escala ao longo dos anos 2000 (Série Open House).

Entre as principais exposições de Bechara estão a 25ª Bienal de São Paulo, o 29ª Panorama da Arte Brasileira, a 5ª Bienal do Mercosul e a  Trienal de Arquitetura de Lisboa de 2011. Realizou individuais no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio, em 2010, e no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, em 2013, entre outras. Bechara vive e trabalha no Rio de Janeiro.

 



Currículo

Exposições individuais

2017   

Zumbidos. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Fluxo Bruto. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

2016

Voadoras. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

Intervalo das coisas. Instituto Lina Bo e PM Bardi. São Paulo, Brasil

2015

Jaguares. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

Squares and Patterns. Ludwig Museum. Koblenz, Alemanha

José Bechara: Criaturas do dia e da noite. Celma Albuquerque Galeria de arte, Belo Horizonte – MG, Brasil

2014

José Bechara: Coração, seu tempo e a persistência da razão. Galeria Paulo Darzé. Salvador, Brasil

Nos Intervalos Entre as Coisas Importantes, Nos Minutos à Toa. Museu Oscar Niemeyer. Curitiba, Brasil

José Bechara: ultramar com 5 cabeças. Casal Solleric. Palma de Mallorca, Espanha

José Bechara. Simões de Assis Galeria de Arte. Curitiba, Brasil

2013

Nuvem Para Meia Altura. Galeria Mário Sequeira. Braga, Portugal

Repertório para aproximação de suspensos. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

José Bechara: esculturas e pinturas recentes. Galeria Mário Sequeira. Braga, Portugal

No intervalo entre as coisas importantes, nos minutos à toa. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

Visto de frente é infinito. Instituto Figueiredo Ferraz. Ribeirão Preto, Brasil

2012

José Bechara. Galeria Mário Sequeira. Braga, Portugal

2011

José Bechara: anotações para uma crônica de ateliê. Bolsa de Arte. Porto Alegre, Brasil

Líquido do Metal. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

José Bechara: colisão e trânsito. Museu de Arte Moderna da Pampulha. Lagoa da Pampulha, Brasil

José Bechara: ultramar com 5 cabeças. Quase Galeria – Espaço T. Porto, Portugal

2010

Ultramar com 11 cabeças. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

José Bechara: Fendas. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

José Bechara: Desenhos. CARPE DIEM Arte e Pesquisa. Lisboa, Portugal

FULL. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

Pássaros geométricos e pelo menos um pássaro retangular. Diana Lowenstein Fine Arts Gallery. Miami, EUA

2009

José Bechara: frestas. Matias Brotas Arte Contemporânea. Vitória, Brasil

A Casa. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa, Portugal

Cut. Celma Albuquerque Galeria de Arte. Belo Horizonte, Brasil

2008

Sobremirada | O Ar e A Cega. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Saudade. Fundação Eva Klabin. Rio de Janeiro, Brasil

Aranha de Canto. Galería Xavier Fiol. Arte Contemporáneo. Palma de Mallorca, Espanha

Extremo Habitável. Bolsa de Arte. Porto Alegre, Brasil

Ok, Ok Let’s Talk. Museo Patio Herreriano. Valladolid, Espanha

DuploOxy. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal

2007

Geométrica. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

2006

Open House. Diana Lowenstein Fine Arts Gallery. Miami, EUA

Paisagem Doméstica. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Ok, Ok Let’s Talk. Projeto Octógono Arte Contemporânea da Pinacoteca do Estado de São Paulo. São Paulo, Brasil

José Bechara: trabalhos recentes. Celma Albuquerque Galeria de Arte. Belo Horizonte, Brasil

2005

Tráfego Diurno – Noite Horizontal. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal

Vespeiro. La Chocolateria. Santiago de Compostela, Espanha

Área de serviço. Casa de Cultura Andrade Muricy. Curitiba, Brasil

2004

Paramarelos. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Duas margaridas e uma aranha. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

Work Area. Diana Lowenstein Fine Arts Gallery. Miami, EUA

A Casa. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

José Bechara: pinturas. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

2003

Área de serviço. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

2002

José Bechara. Celma Albuquerque Galeria de Arte. Belo Horizonte, Brasil

Galeria Marília Razuk, São Paulo, Brasil

Silvia Cintra Galeria de Arte. Rio de Janeiro, Brasil

2001

José Bechara. Studio 3B. Nova York, EUA

2000

Pelada. Silvia Cintra Galeria de Arte. Rio de Janeiro, Brasil

1999

José Bechara. Celma Albuquerque Galeria de Arte. Belo Horizonte, Brasil

1998

José Bechara. Museu de Arte Moderna da Bahia. Salvador, Brasil

Museu Alfredo Andersen. Curitiba, Brasil

Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

Galeria Thomas Cohn. São Paulo, Brasil

Comendo margaridas. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

1997

Campos de rosas. Galeria Paulo Fernandes. Rio de Janeiro, Brasil

1995

José Bechara. Galeria Millan. São Paulo, Brasil

Galeria Paulo Fernandes. Rio de Janeiro, Brasil

1994

José Bechara. Centro Cultural São Paulo. São Paulo, Brasil

1992

José Bechara. Centro Cultural Cândido Mendes. Rio de Janeiro, Brasil

 

Exposições coletivas

2017

7ª Bienal Internacional de Arte de Pequim. Pequim, China. Trabalho selecionado: Paramarelo com pássaro retangular hesitante, 2009-2017

1ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea da América do Sul - BIENALSUR. Buenos Aires, Argentina. Trabalho selecionado: Nuvem para meia altura, 2013-2017

Este lugar lembra-te algum sítio? – 4º momento. Espaço Adães Bermudes. Alvito, Portugal

Este lugar lembra-te algum sítio? – 3º momento. CACPS – Centro de Artes e Cultura de Ponte de Sor. Ponte de Sor, Portugal

Lugares do delírio. MAR – Museu de Arte do Rio. Rio de Janeiro, Brasil

Este lugar lembra-te algum sítio? – 2º momento. CAPC – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra. Coimbra, Portugal

2016

(In) Mobiliario. Galeria Habana. Havana, Cuba

Pequenos Formatos: Dimensão e Escala. Fundação Cidade das Artes. Rio de Janeiro, Brasil

The agony and the ecstasy – Latin American art in the collections of Mallorca; A review based on contemporaneity. Es Baluard – Museo d’Art Modern i Contemporani de Palma. Palma de Mallorca, Espanha

Este lugar lembra-te algum sítio? CAAA – Centro para os Assuntos de Arte e Arquitetura. Guimarães, Portugal

Intervenções Urbanas – ArtRio. Museu da República. Rio de Janeiro, Brasil

Transparência e reflexo. MuBE (Museu Brasileiro da Escultura), São Paulo, Brasil

Cidade Jacaranda – ocupação artística. Fundação Cidade das Artes, Rio de Janeiro, Brasil

Em polvorosa – um panorama das coleções MAM-Rio. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

2015

Diálogos Construtivos no Brasil: Passado e Presente. Simões de Assis Galeria de Arte. Curitiba, Brasil

Casa Cidade Mundo - A beleza Possível Módulo I. Galeria Mercedes Viegas. Rio de Janeiro, Brasil

2014

20 anos de Mercedes Viegas. Galeria Mercedes Viegas. Rio de Janeiro, Brasil

Expoarte 2014 - Residência e Transgressão. Casa Cor. Serra, ES, Brasil

Iberê Camargo: século XXI. Fundação Iberê Camargo. Porto Alegre, Brasil

Momento Contemporâneo. Instituto Figueiredo Ferraz. Ribeirão Preto, Brasil

We are pleased to invite you #4. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisbon, Portugal

2013

LUPA. ArtRio Feira Internacional de Arte do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Intervenções no MAM. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Great Men Die Twice. Casa da Cultura de Comporta. Setúbal, Portugal

We are pleased to invite you #4. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal

2012

Art-quitecturas. Galería Xavier Fiol. Arte Contemporáneo. Palma de Mallorca, Espanha

Colectiva de desenhos. Quase Galeria – Espaço T. Porto, Portugal

This is Brazil! 1990-2012. Palacio Municipal de Exposiciones Kiosco Alfonso. Coruña, Espanha PALEXCO. Coruña, Espanha

[alguns de] nós. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

1911-2011: Arte Brasileira e Depois na Coleção Itaú. Museu Oscar Niemeyer. Curitiba, Brasil

Novas Aquisições 2010/2012 Coleção Gilberto Chateaubriand. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Além da forma: plano, matéria, espaço e tempo. Instituto Figueiredo Ferraz. Ribeirão Preto, Brasil

2011

1911-2011: Arte Brasileira na Coleção Itaú. Palácio das Artes. Belo Horizonte, Brasil

Sobre Vitória: Usina Galeria de Arte – 25 anos depois. Museu de Arte do Espírito Santo. Vitória, Brasil

Múltiplos Sentidos. Matias Brotas Arte Contemporânea. Vitória, Brasil

1911-2011 – Arte Brasileira e Depois, na Coleção Itaú. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

Construção e Desconstrução da Arte Brasileira (1900–2000). Bozar Arts Festival. Bruxelas, Bélgica

O Colecionador de Sonhos. Instituto Figueiredo Ferraz. Ribeirão Preto, Brasil

Trienal de Arquitectura de Lisboa. Lisboa, Portugal

2010

Do Pensamento à Representação. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

Novas Aquisições 2007/2010 Coleção Gilberto Chateaubriand. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Bizarro. Festival Estrella Levante SOS 4.8. Murcia, Espanha

Ponto de Equilíbrio. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

O passeio de Kierkegaard. Galeria Marília Razuk. São Paulo, Brasil

Arquivo Geral. Centro de Arte Hélio Oiticica. Rio de Janeiro, Brasil

Falemos de casas: quando a arte fala arquitectura [construir, desconstruir, habitar]. Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado. Lisboa, Portugal

Trienal de Arquitectura de Lisboa. Lisboa, Portugal

2009

Trabalhos em papel. Galeria Mercedes Viegas. Rio de Janeiro, Brasil

Estética Solidária. Palácio Marquês de Pombal. Lisboa, Portugal

Antes de ayer y passado mañana; o lo que puede ser pintura hoy. MACUF Museo de Arte Conteporáneo Unión Fenosa. Coruña, Espanha

FotoRio 2009. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

Paisatges Creuats/Paisagens Cruzadas. Es Baluard Museu d’Art Modern i Contemporani de Palma. Palma de Mallorca, Espanha

Building Rooms. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal

Coleções 9. Galeria Luisa Strina. São Paulo, Brasil

José Bechara – Herbert Hamak – Winston Roeth. Galería Xavier Fiol. Arte Contemporáneo. Palma de Mallorca, Espanha

Madridfoto ’09. Madri, Espanha

2008

Arquivo Geral. Centro Cultural da Justiça Federal. Rio de Janeiro, Brasil

O olhar da colagem no acervo do MAC-PR. Museu de Arte Contemporânea do Paraná. Curitiba, Brasil

Passiones Privadas, Visiones Publicas. MARCO Museu de Arte Contemporánea de Vigo. Vigo, Espanha

Proporções Monumentais: seleções da coleção permanente. ASU Art Museum. Phoenix, EUA

Parangolé: fragmentos desde os anos 90. Brasil, Portugal e Espanha

Arte pela Amazônia. Fundação Bienal de São Paulo. São Paulo, Brasil

Construir, habitar, pensar. Perspectivas del Arte y la Arquitectura Latinoamericana Contemporáneas Instituto Valenciano de Arte Moderna IVAM. Valencia, Espanha

Traços Traçados. Galeria Marcelo Guarnieri. Ribeirão Preto, Brasil

La Mirada d’Abril: noves propostes/nuevas propostas/new proposals. Galería Xavier Fiol. Arte Contemporáneo. Palma de Mallorca, Espanha

2007

A Última Casa, A Última Paisagem. Matias Brotas Arte Contemporânea. Vitória, Brasil Galeria Espaço Universitário da UFES. Vitória, Brasil

”E” Conjunções/Conexões. Galeria Marcelo Guarnieri. Ribeirão Preto, Brasil

80/90 Modernos, pós-modernos, etc. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

Novas Aquisições 2006/2007 Coleção Gilberto Chateaubriand. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Itaú Contemporâneo: Arte no Brasil 1981–2006. Centro Cultural Itaú. São Paulo, Brasil

ARCO ’08: Elizabeth Jobim, José Bechara e Raul Mourão. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

2006

1910–2000 Coleção Gilberto Chateaubriand: Um Século de Arte Brasileira. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Arquivo Geral. Centro de Arte Hélio Oiticica. Rio de Janeiro, Brasil

Paralela São Paulo 2006. Pavilhão Armando de Arruda Pereira – Parque do Ibirapuera. São Paulo, Brasil

Dwell. ASU Art Museum. Phoenix, EUA

Surrouding Matta-Clark. Carlos Carvalho Arte Contemporânea. Lisboa, Portugal

O Espaço Inventado. Museu de Arte Contemporânea do Paraná. Curitiba, Brasil

É HOJE na arte brasileira contemporânea: Coleção Gilberto Chateaubriand. Santander Cultural. Porto Alegre, Brasil

Só Pintura. Mercedes Viegas Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

2005

A Persistência da Pintura – Núcleo Contemporâneo. V Bienal do Mercosul. Porto Alegre, Brasil

Rampa: Signaling New Latin American Art Initiatives. ASU Art Museum. Phoenix, EUA

Rampa: Signaling New Latin American Art Initiatives. Arizona State University Art Museum. Phoenix, EUA

29o Panorama da Arte Brasileira. Museu de Arte Contemporânea de São Paulo. São Paulo, Brasil

Conexão contemporânea. Fundação Nacional de Arte. Rio de Janeiro, Brasil

Chroma. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Onde As Obras Dormem. Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Niterói, Brasil

Encontro com arte: razão e sensibilidade. Casa Cor. Rio de Janeiro, Brasil

Arte Brasileira Hoje. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

2004

Casa: A Poética do Espaço na Arte Brasileira. Museu Vale do Rio Doce. Vitória, Brasil

A Contemplação do Mundo. Culturgest. Lisboa, Portugal

Paralela. São Paulo, Brasil

Arquivo Geral. Jardim Botânico. Rio de Janeiro, Brasil

2003

Sal da Terra. Museu Vale do Rio Doce. Vitória, Brasil

Via BR 040 Longo Trecho em Aclive. Museu Imperial. Petrópolis, Brasil

Novas Aquisições: Coleção Culturgest – Meiac. Badajós, Espanha

Exposição Inaugural. LURIXS: Arte Contemporânea. Rio de Janeiro, Brasil

2002

Iconografias Metropolitanas: 25a Bienal de São Paulo. Fundação Bienal de São Paulo. São Paulo, Brasil

Abstractions. ArtSpaceVirginia Miller Galleries. Miami, EUA

Mapa do Agora. Instituto Tomie Ohtake. São Paulo, Brasil

Caminhos do Contemporâneo. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

Faxinal das Artes. Museu de Arte Contemporânea. Curitiba, Brasil Faxinal do Céu. Pinhão, Brasil

2001

Atípicos. Silvia Cintra Galeria de Arte. Rio de Janeiro, Brasil

Gesto, Matéria, Cor e Imagem. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

2000

Um oceano inteiro para nadar. Culturgest. Lisboa, Portugal

American Triangle. Generous Miracles Gallery. Nova York, EUA

Gerações. Silvia Cintra Galeria de Arte. Rio de Janeiro, Brasil

UniversidArte VIII. Galeria Especial – Universidade Estácio de Sá. Rio de Janeiro, Brasil

1999

Anos 90. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

Arte Brasileira. Museu Nacional de Bellas Artes. Buenos Aires, Argentina

MAM: uma seleção. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Small-big paintings from Latin America. Generous Miracle Gallery. Nova York, EUA

1998

Busan Museum of Modern Art. Busan, Coreia do Sul

Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Rio de Janeiro, Brasil

Galeria Thomas Cohn. São Paulo, Brasil

O Moderno e o Contemporâneo na Arte Brasileira. MASP Museu de Arte de São Paulo. São Paulo, Brasil

Coleção Gilberto Chateaubriand. Haus der Kulturen der Welt. Berlim, Alemanha

Ludwig Forum fur Internationale Kunst. Aachen, Alemanha Kunst Museum. Heidenheim, Alemanha

1996

Novas aquisições: Coleção Gilberto Chateaubriand. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil

Novas aquisições: Coleção Gilberto Chateaubriand. Museu de Arte Moderna da Bahia. Salvador, Brasil

Coleção João Sattamini. Museu de Arte Contemporânea de Niterói. Niterói, Brasil

Brazilian artists. Cynthia Bourne Gallery. Londres, Reino Unido

1994

Matéria e forma. Paço Imperial. Rio de Janeiro, Brasil

1993

Gravidade e aparência. Museu Municipal de Arte – Fundação Cultural de Curitiba. Curitiba, Brasil Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro, Brasil

1992

9X6. Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Rio de Janeiro, Brasil

Diferenças. Museu Nacional de Belas Artes. Rio de Janeiro, Brasil